Por lugares incríveis

Esta é a história de Violet Markey e Theodore Finch ou parte dela.

 

Violet tinha uma vida perfeita, era linda, popular, tinha muitos amigos e um namorado incrível. Adorava escrever e tinha uma revista on-line com sua irmã Eleanor, era feliz e cheia de planos, mas tudo muda quando Violet e Eleanor sofrem um acidente de carro e Eleanor morre. Violet sente-se culpada pela morte da irmã, pára de escrever, e vive agora isolada tentando achar um motivo para continuar vivendo.

Já Theodore Finch é o contrário, ele é conhecido como o garoto problema da escola, seu apelido é aberração, tem um pai violento, uma família distante e luta com momentos depressivos. Violet conta os dias para a formatura quando pretende ir para nova York estudar e Finch pesquisa várias formas de suicídio. Numa de suas inúmeras tentativas de suicídio ele vai para o alto da torre do sino da escola e lá encontra Violet com a mesma intenção, mas ela desiste e não está conseguindo sair dali, então Finch a salva e a ajuda sair lá de cima, no entanto eles combinam de dizer que foi Violet quem salvou Finch, afinal ele já é mesmo o garoto problema e isso vai facilitar as coisas para Violet.

Os capítulos do livro são narrados por Violet e Finch alternadamente, assim temos a visão de ambos da história. Depois deste dia Finch começa a prestar mais atenção em Violet e meio que forçadamente eles irão fazer um trabalho de geografia juntos e irão visitar lugares incríveis de Indiana, estado onde vivem. Achei muito bacana que no final do livro tem um mapa com todos os lugares por onde eles passaram e todos aqueles lugares mágicos existem de verdade. Nessas andanças como eles dizem, eles encontram um no outro muito mais que um amigo e Violet começa a “viver” novamente e percebe que o Finch como na maioria das vezes na vida real, não é nem de longe aquilo que seus amigos da escola dizem.

O livro trata questões sérias como o suicídio, bullying, transtorno bipolar e como muitos jovem são nigligenciados pela família e pela sociedade de uma forma geral, mas a história nos é contada de forma tão sutil que embora haja tristeza nesses temas, é uma leitura leve, agradável, não queremos largar o livro. Tem muitas passagens bonitas que nos fazem refletir como por exemplo esta frase dita por Violet, “nem sempre podemos enxergar o que os outros não querem que a gente veja. Principalmente, quando se esforçam tanto para esconder.”

Não vou dizer muito mais sobre a história, pois sei que já ouviram falar muito deste livro e não quero dar spoiler e estragar a leitura de quem ainda não conhece.

Embora o final seja um tanto previsível, não deixa de surpreender. Li o último capítulo tensa, imaginando o que ia acontecer mas não querendo acreditar. Chorei, mas é uma história muito querida, todo mundo deve ler e tentar nem que seja por um momento, antes de qualquer julgamento vestir a pele do outro.

 

E vamos nos conscientizar que bullying não é legal, brincadeira é quando as duas partes se divertem, isso pode acarretar sérios problemas para a vida da pessoa. Na dúvida, não façamos com os outros aquilo que não gostaríamos que fizessem conosco!

Tel: CVV (Prevenção ao suicídio) 188

IMG_0139[1]

 

Anúncios

Os olhos de Julia

Olá pessoal! A resenha de hoje é para falar de um filme de suspense que vai te deixar literalmente de olhos bem abertos.

Eu estava dormindo e acordei de madrugada meio sem sono, liguei a tv e não consegui mais desgrudar os olhos da tela, lá estava um dos melhores filmes de suspense que já vi, daqueles que te deixam tenso, sem fôlego e completamente sem sono, “Os olhos de Julia”.

Julia (Belén Rueda) e sua irmã tem um problema congênito de visão que vai fazendo com que aos poucos elas ceguem. Julia recebe a notícia de que sua irmã teria cometido suicídio, mas apesar das provas da polícia ela não acredita que sua irmã tenha se matado e resolve investigar o caso por conta própria, mesmo contra a insistência do marido para que ela aceite os fatos e não mexa mais nisso. Mas Julia sempre tem a sensação de ser observada por um homem que ela não consegue saber quem é, só vê o vulto dele e isso faz com que ela pense que tem algo a mais nessa história. Nesse meio tempo seu marido morre e a causa também é suicídio. Enquanto Julia corre atrás de pistas para saber o que realmente está acontecendo, ela vai perdendo a visão e o filme nos faz emegir no universo de uma pessoa cega, nos dando a certeza de que esse é nosso sentido mais importante. No decorrer de sua busca ela se depara com pessoas estranhas e suspeitas como o enfermeiro destinado a ajudá-la depois que ela faz um transplante de córneas e fica sem enxergar nada, seu vizinho pirado e uma senhora cega, pessoas que não sabemos quais são suas reais intenções. Não faltam surpresas e quando você acha que pegou o fio da meada, eis que surge uma novidade, e no final Julia estava mesmo certa, tinha muito mais por trás da morte da irmã.

O filme é espanhol, os atores são muito bons e o enredo é muito bem desenvolvido por Guillen Morales e Guilherme Del Toro. Um filme de suspense no exato sentido da palavra, valeu a pena minha insônia.

Se você como eu, é amante dos filmes de suspense, não perca tempo, este vai te arrepiar!